Início » Corregedoria » Depois da 7ª Vara Cível e da 1ª Vara de Família, Gabinete Remoto atua em Esperantina
 

Depois da 7ª Vara Cível e da 1ª Vara de Família, Gabinete Remoto atua em Esperantina

A Corregedoria Geral da Justiça tem investido em várias frentes para incrementar a produtividade do Poder Judiciário no Piauí. Além das atividades de rotina, a CGJ tem criado estratégias para apoiar e acelerar o cumprimento das metas do Conselho Nacional da Justiça.

Além da Digitalização, do Baixar Para Avançar e do Gabinete Itinerante, o Gabinete Remoto completa um conjunto de projetos que atuam de forma complementar. “Nosso projeto de Digitalização é ousado e tem como maior objetivo melhorar o serviço do Judiciário, aumentando sua produtividade e facilitando a vida das partes e dos nossos servidores. Os outros projetos também atuam com esse fim, de forma paralela. O Gabinete Remoto, por exemplo, trabalha daqui da capital, em unidades que já foram digitalizadas, em processos que já são virtuais, com objetivo direcionado no atendimento na Meta 2 do CNJ, que é julgar prioritariamente processos que deram entrada no judiciário até dezembro de 2015”, explica a secretária geral da Corregedoria Geral da Justiça, Mônica Lopes.

Nesse sentido, o Gabinete Remoto, que hoje é composto por dois servidores e quatro estagiários, trabalha minutando sentenças de processos que se enquadram na meta de número 2 do CNJ. Ainda em maio, em fase experimental, apenas uma servidora atuou na 7ª Vara Cível e em duas semanas elaborou 40 minutas de sentença. “Esse período foi essencial para entendermos como aconteceria o processo. A partir daí, o Gabinete Remoto ganhou novos integrantes e, depois da 1ª Vara de Família, passamos a atuar nos processos digitalizados da comarca de Esperantina, que recentemente recebeu o acervo dos processos de Joaquim Pires”, explica Mariana Lima Pereira, analista judiciária.

Ela destaca que os trabalhos são realizados daqui de Teresina, atuando em processos migrados para PJE. “Nós ficamos no Tribunal e, remotamente, temos acesso aos processos na Vara. Porém, estamos em permanente contato com a unidade, para conseguir dar vazão aos processos em conformidade com o entendimento do magistrado responsável”, diz Mariana.

Com mais de 300 sentenças, a grande maioria de mérito, e 150 despachos ou decisões interlocutórias, até agora; o Gabinete Remoto atuará em Esperantina mais duas semanas. Na sequência, os esforços serão concentrados junto à comarca de Itaueira, onde também passarão três semanas. “Para otimizar o serviço e atuar com mais eficiência na unidade, estamos orientando que as unidades separem os processos de acordo com a Meta 2. Isso é essencial para que consigamos alcançar nosso objetivo, que é produzir sentenças, analisando as alegações e provas dos autos, de realizar a efetiva prestação jurisdicional, acelerando a produtividade da unidade”, enfatiza a servidora.

Além da analista judicial, o Gabinete Remoto da CGJ ainda é composto pelo servidor João Pedro Costa Soares e os estagiários Larissa Nunes de Sousa, Caio Afonso de Oliveira Imbiriba, Victória Cronemberger Queiroz e Soly Sousa de Araújo.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email