Início » Corregedoria » Exército vai reforçar digitalização de processos no Piauí

Exército vai reforçar digitalização de processos no Piauí

 
 

O Corregedor Geral da Justiça, desembargador Hilo de Almeida Sousa, apresentou nesta terça-feira (2) ao presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sebastião Ribeiro Martins a equipe oito de soldados do Exército Brasileiro que vai reforçar o processo de digitalização de processos no Estado. Os trabalhos já começaram essa semana, pela 1ª e 6ª Varas Cíveis de Teresina.

O trabalho dos soldados é fruto da cooperação técnica da CGJ com o Comando do Nordeste do Exército. “O fim do processo físico é um desafio que precisa ser encarado de várias frentes e a Corregedoria vem assumindo essa responsabilidade, já com excelentes resultados. A parceria com o Exército Brasileiro vai acelerar esse caminho e é uma grande prova de que a instituição pode dar uma grande contribuição também para o Poder Judiciário”, destaca o corregedor.

Para o desembargador Sebastião Ribeiro Martins, o apoio do Exército veio em boa hora. “Grande parte dos Tribunais de Justiça tem desenvolvido a digitalização contratando empresas e tendo grandes custos. Aqui no Piauí, a Corregedoria Geral da Justiça assumiu essa responsabilidade e vem desenvolvendo um grande trabalho. Sem dúvida a ajuda do Exército Brasileiro vem em boa hora e vai nos ajudar bastante nesse momento em que estamos na luta para trabalhar exclusivamente com processos eletrônicos na área cível, já que a área criminal ainda não chegou ao Piauí”, disse o presidente do TJ.

O Coronel Rômulo Gonçalves, do 2º Batalhão de Caçadores apresentou a equipe e chamou atenção para a missão das forças armadas, que, segundo ele, é bem maior que defender o país em conflitos. “Sabemos que é caro para o país manter as forças armadas, por isso ela não pode ser um elefante branco. Ela precisa dar um retorno maior para a sociedade, por isso trabalhamos desde a construção de estradas, ao controle da dengue além de muitos outros trabalhos. Não podemos só esperar o conflito acontecer para sermos úteis. Será nosso primeiro trabalho com a Justiça e nossa equipe estará empenhada para alcançar as metas estabelecidas”, disse o Coronel.

O juiz auxiliar da CGJ, Luiz Moura ainda destacou que a iniciativa da Corregedoria já está sendo copiada em outros estados. “A Bahia, Tocantins e Maranhão já sinalizaram que vão copiar a idéia, que é pioneira no Brasil. Nós só temos a agradecer ao Exército, que já está na ativa desde segunda (1) e que já demonstrou uma força de trabalho eficiente e muito ágil”, disse o magistrado.

Depois da 1ª e 6ª Varas Cíveis de Teresina, os militares devem percorrer o Estado executando a digitalização de processos, de acordo com cronograma da Corregedoria Geral da Justiça. Para o trabalho, os soldados, que já atuavam na área de informática, foram devidamente treinados e Núcleo Central de Digitalização de Processos.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email