Início » Corregedoria » Serviço Integrado Multidisciplinar terá início dia 23, em Cocal
 

Serviço Integrado Multidisciplinar terá início dia 23, em Cocal

A Corregedoria Geral da Justiça inicia oficialmente, no próximo dia 23 (sexta), o Serviço Integrado Multidisciplinar (SIM).  A primeira cidade a receber o serviço será Cocal, a 286 km de Teresina, que vai poder contar com um espaço para atendimento multidisciplinar de apoio à Criança, ao Idoso e à Mulher vítimas de violência, através de profissionais especializados nas áreas psicossocial, jurídica e de saúde.

A sala, que já foi instalada no Fórum da cidade, vai passar a oferecer trabalhos de recepção humanizada, escuta ativa, orientação, prevenção e outras medidas voltadas à mulher, ao idoso e às crianças afetadas por algum tipo de violência.

Semana passada, a CGJ promoveu uma capacitação para os servidores cedidos pelo município e que vão atuar no serviço. Assessores da Promotoria, psicólogo, assistente social e secretário de gabinete foram orientados a seguir protocolos específicos para as ações relacionadas à proteção da mulher em situação de violência doméstica, à proteção do idoso, à realização do depoimento sem dano em face de crianças vítimas de violência e explanação dos instrumentos públicos à disposição da população para proteção das mulheres, crianças e idosos em situação de violência.

A capacitação foi orientada pela Defensoria Pública, através da Dra. Lia Medeiros do Carmo Ivo Coordenadora do Núcleo Especializado a Mulher em Situação de Violência e da Dra. Sara Maria Araújo Melo, Coordenadora do Núcleo Especializado do Idoso e da Pessoa com Deficiência; da Juíza da 3ª Vara Criminal de Caxias – MA, Dra. Marcela Santana Lobo e da Delegada Anamelka Cadena, subsecretária de Segurança Pública do Estado.

“Mais que uma sala, a ideia do SIM é oferecer um espaço que realmente torne o atendimento ao vulnerável muito mais humano, com escuta ativa e feito por pessoas preparadas de fato. No caso das crianças vítima de qualquer violência por exemplo, é essencial que o profissional que vai ouvi-la tenha todo cuidado com a abordagem e esteja preparado para fazer aquilo de forma respeitosa e cuidadosa, por exemplo. É esse o objetivo do Serviço, mostrar que a Justiça entende que, mais que processos, lida com pessoas, muitas vulneráveis e que estão passando por situações traumáticas”, explica o juiz auxiliar da CGJ, Luiz Moura.

O Corregedor Geral da Justiça, desembargador Hilo de Almeida Sousa ressalta que essa é mais uma iniciativa para fortalecer o compromisso da Justiça com a cidadania, especialmente com quem mais precisa. “O primeiro contato com a Justiça é através das unidades onde as pessoas procuram ajuda. É importante que esse lugar seja de acolhimento e acompanhe cada caso em especial, com a atenção que essas pessoas precisam e merecem“, explica o corregedor Geral da Justiça, o desembargador Hilo de Almeida Sousa.

Além de acolher quem já busca por Justiça, o espaço vai integrar ações de prevenção visando coibir a violência aos mais vulneráveis, além de desenvolver projetos educativos e culturais, assegurando seu acompanhamento e atendimento, sobretudo, para identificação e seleção de casos a serem assistidos. “A equipe responsável pelo SIM acompanhará as famílias, fazendo visitas domiciliares periódicas e monitorando casos específicos. Para isso, contaremos com apoio do Ministério Público, Defensoria Pública além das delegacias de Polícia“, disse o corregedor.

 

 

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email