Início » Corregedoria » CGJ entrega primeira etapa da reforma do Depósito Judicial com crescimento de 70% no atendimento das demandas
 

CGJ entrega primeira etapa da reforma do Depósito Judicial com crescimento de 70% no atendimento das demandas

A Corregedoria Geral da Justiça entrega nesta quinta-feira (13) a primeira etapa da reforma do Depósito Judicial do Bairro Redonda, que guarda tanto os bens apreendidos por mandado judicial, quanto os processos físicos que vão para arquivamento. Em cinco meses de trabalho, os servidores da CGJ fizeram a gestão processual de mais de 22 mil documentos, passando de 20% para 90% o índice de atendimento de demandas por parte dos jurisdicionados e advogados no âmbito de primeiro grau.

Para o Corregedor Geral da Justiça, desembargador Hilo de Almeida Sousa, trata-se de um momento importante para o Poder Judiciário, uma vez que marca uma nova gestão de processos arquivados e bens apreendidos. “Desde que iniciamos a gestão, a reorganização do Depósito Judicial foi uma meta. São cinco meses de trabalho em que nossa equipe trabalhou duro, sobretudo para reorganizar, catalogar e relocalizar esses primeiros processos em lotes no sistema, e garantir que eles sejam facilmente encontrados. Nossa meta é chegar até o final da gestão com um depósito completamente organizado, que atenda perfeitamente a quem precisa, de forma célere e eficiente, segundo determinação do Conselho Nacional de Justiça”, destaca o desembargador.

A secretária da CGJ, Mônica Lopes, que coordenou a reforma, explica que desde a triagem até a relocalização dos processos, o trabalho foi criterioso. “Esse é apenas a primeira parte de uma grande reforma. Com poucos recursos, uma vez que só adquirimos algumas prateleiras e ar-condicionados, e muita vontade de fazer, nossos servidores foram capacitados e trabalharam diuturnamente para, não apenas limpar, mas organizar de forma criteriosa cada processo. Iniciamos com a 1ª e a 2ª Varas de Família, mas nossa meta é organizar todo o ambiente para que o arquivo funcione com facilidade para localização dos processos, receber os processos que estão sendo digitalizados e colocar em outro lugar os bens apreendidos, também devidamente selecionados, que facilitem a busca e a localização, entrega, leilão ou doação, quando for o caso”, ressalta a secretária.

Para organização do depósito, os servidores seguiram passos específicos que passam pela separação de bens, triagem de toda massa documental, separação por ano, catalogação e elaboração de lista individualizada, organização em caixas e relocalização em lote no sistema Themis Web, facilitando a localização imediata. “Foi feito um verdadeiro trabalho de gestão processual, respeitando as determinações e critérios do CNJ. Entre os bens guardados pelo depósito, estão 59 carros e 20 motos já credenciados e recolhidos para um grande leilão. Outros bens, frutos de apreensão, já estão sendo encaminhados para os devidos fins (descarte ou doação) conforme manifestação dos juízes responsáveis por cada processo”, ressalta Mônica Lopes.

Ainda na solenidade de entrega da primeira etapa da reforma, a Corregedoria Geral de Justiça entregará bens como TVs, caixas de som, bicicletas, pneus, entre outros de menor valor.

A solenidade contará com a presença do presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Sebastião Ribeiro Martins, além de representantes da Associação dos Magistrados do Piauí, OAB, Defensoria Pública e outros segmentos do Poder Judiciário.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email