Início » Corregedoria » Corregedoria e Secretaria de Justiça estabelecem calendário para implantação de videoconferência nas penitenciárias

Corregedoria e Secretaria de Justiça estabelecem calendário para implantação de videoconferência nas penitenciárias

 
 

A Corregedoria Geral da Justiça e a Secretária Estadual de Justiça já estabeleceram calendário para implantação de salas de videoconferência em todas as penitenciárias do Estado. O objetivo é que no próximo ano todas elas já possam realizar esse tipo de audiência.

A Casa do Albergado, que faz parte do complexo prisional de Teresina junto com as penitenciarias “Irmão Guido” e “Casa de Custódia”, foi a primeira a receber o serviço, em julho desse ano,  quando foram interrogados doze presos de alta periculosidade, através do Juiz de Direito da Comarca de Uruçuí, da realização do primeiro júri na Comarca de Parnaguá. Na ocasião, o Corregedor Geral da Justiça, Desembargador Hilo de Almeida e o Secretário de Justiça, Dr. Carlos Edilson, se comprometeram de estender a prática para todo Estado.

A Corregedoria Geral da Justiça já está providenciando para as comarcas computadores, câmeras e licenças do pacote Microsoft Office 365, que inclui a ferramenta, Skype for Business, utilizada neste tipo de audiência. “A tecnologia precisa servir às pessoas e o Poder Judiciário vem acreditando nisso. Além da digitalização dos processos na área cível, essa semana nós temos dado grandes passos para isso. A utilização da videoconferência para ouvir presos nas unidades prisionais garante muito mais economia e principalmente a segurança da população, dos responsáveis pelo deslocamento e dos próprios presos. Sem dúvida vivemos um novo momento”, disse o corregedor Hilo de Almeida Sousa.

O secretário de Justiça destacou que a mudança vai proporcionar uma economia de mais de R$ 100 mil mensais para o Estado. “É muito mais fácil, econômico e seguro essas audiências nos próprios presídios. Já tivemos casos de agentes policiais que foram mortos nesses transportes de criminosos. Sem essa parceria com o Poder Judiciário, as videoconferências seriam impossíveis. O que estamos vendo hoje é um marco para o sistema prisional do Piauí”, destacou Carlos Edison.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email