Início » Corregedoria » Corregedoria Geral da Justiça faz primeira visita às unidades judiciárias da capital para ouvir magistrados e servidores

Corregedoria Geral da Justiça faz primeira visita às unidades judiciárias da capital para ouvir magistrados e servidores

 
 

A convite do Corregedor Geral de Justiça, desembargador Hilo de Almeida, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, desembargador Sebastião Ribeiro Martins participou de mais uma de uma série de visitas que a CGJ vem fazendo às unidades judiciárias do Estado. Pela primeira vez em Teresina, os desembargadores, o juiz auxiliar, Dr. Luiz Moura e o presidente da Associação dos Magistrados do Piauí, juiz Thiago Brandão de Almeida, ouviram o magistrado e os servidores da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que julga crimes contra a vida.

Desde o começo da nossa gestão, coloquei como uma das metas visitar todas as unidades judiciárias do Estado, levando como mensagem o real objetivo da Corregedoria Geral da Justiça, que é ser um braço de apoio para ajudar encontrar soluções concretas para questões que são de todos. O que temos visto são mais que dificuldades. Temos visto muito boas práticas por todo Piauí e ouvido excelentes sugestões. Dessa vez, tivemos a honra da presença do nosso Presidente”, disse o Corregedor.

Na ocasião, o juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Dr. Antônio Reis de Jesus Nollêto, falou da iniciativa e da rotina da unidade. “Sem dúvida é muito importante essa visita do Presidente e do Corregedor. Nos mostra que estamos todos juntos por uma causa que é de todos, que tem como maior beneficiário a própria sociedade”, disse.

Na visita, o presidente do TJ pediu prioridade para julgamentos de feminicídios. “Faz parte das metas do CNJ e nossas também, o enfrentamento da violência contra mulher. Por isso, os casos de feminicídio, que crescem em todo país e também no Piauí, precisam receber uma atenção especial também por parte do Poder Judiciário”, argumentou o desembargador Sebastião Ribeiro Martins.

Em conversa com os servidores da unidade, o juiz auxiliar Luiz Moura destacou a postura parceira da CGJ e a abertura para ouvir críticas e sugestões. “Além dos magistrados, também estamos ouvindo os servidores. Precisamos dialogar para construir um Judiciário forte e democrático”, disse o magistrado.

Depois de ouvir as reivindicações e sugestões do juiz titular, Dr. Antônio Nollêto, o Presidente e o Corregedor se comprometeram em encontrar solução para algumas questões específicas, especialmente no que se refere à instrução de processos. “Muito importante a atenção que o desembargador Sebastião Ribeiro Martins tem tido, ouvindo as demandas e se colocado sempre à disposição para resolver, da forma como pode. Até porque algumas questões dependem não só da Corregedoria. Precisamos estar unidos para encontrar soluções para questões que impedem a produtividade do Judiciário”, ressaltou o desembargador Hilo de Almeida.

Nos próximos dias, a comitiva da CGJ dever retomar as visitas às comarcas do interior do Estado e as outras unidades Judiciárias da capital.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email