Início » Corregedoria » Corregedoria Geral da Justiça premia magistrados mais produtivos durante o isolamento social

Corregedoria Geral da Justiça premia magistrados mais produtivos durante o isolamento social

 
 

A Corregedoria Geral da Justiça do Piauí premiou essa semana os magistrados mais produtivos durante o isolamento social, devido a pandemia do novo coronavírus. Os juízes que fizeram maior número de julgamentos, tanto em Varas quando Juizados Especiais, durante esse período receberam o selo “Destaque em Produtividade”, entregue pelo Corregedor Geral da Justiça, desembargador Hilo de Almeida Souza, por meio de videoconferência.

“A pandemia nos forçou a aprender uma nova forma de trabalhar. Tivemos que reformular nossos planos e metas e cumprir o isolamento social. Apesar disso, nossos magistrados e servidores têm conquistado excelentes resultados. Todos eles merecem nossos aplausos. Por isso decidimos premiar juízes e servidores que se destacaram durante esse período, como uma forma de reconhecimento e agradecimento não apenas do poder Judiciário, mas também em nome de todos os piauienses, que precisam e acreditam no trabalho da Justiça”, explicou o desembargador Hilo Almeida.

Primeiro lugar em produtividade entre os magistrados de Varas, com 1215 processos julgados, Dr. Nauro Carvalho, da Vara Criminal da Comarca de Barras agradeceu pelo prêmio e falou da importância desse reconhecimento, que é de todos que fazem a unidade judiciária. “Esse reconhecimento é um grande incentivo a todos os magistrados e servidores. Foi uma grande surpresa e alegria recebê-lo. Esse número é resultado do trabalho de uma equipe que aceitou o desafio nesse momento difícil para todos”, disse o juiz.

Ele revela que os bons resultados são fruto de um trabalho organizado. “Durante esse período estipulamos metas para todos, além fazer uma portaria de produtividade e estipular um relatório semanal para acompanharmos os cumprimentos dessas metas. Por isso pudemos avançar, fazendo uma melhor distribuição de processos, especialmente no gabinete, onde tivemos excelentes resultados”, disse o magistrado.

A juíza da 2ª Vara de Feitos da Fazenda Pública da Capital, Dra. Carmelita Oliveira também falou da mudança de paradigma da Corregedoria Geral da Justiça do Piauí, ao reconhecer o trabalho dos magistrados nesse momento. Segundo ela, foi o reconhecimento e incentivo de servidores dentro da sua unidade que também proporcionou se chegar a bons resultados. “ É muito importante esse reconhecimento por parte da Corregedoria. Também fiz isso na nossa unidade, reconhecendo os servidores que mais se destacaram e isso fez muita diferença porque dá mais garra, mais vontade de se querer produzir”, revela.

Juiz da 1ª Vara da Comarca de Campo Maior, Dr. Múccio Meira destacou que a pandemia veio para a ensinar, também ao Judiciário.  “A pandemia veio nos mostrar que tínhamos todas as condições de trabalhar devido aos avanços que tivemos nos últimos anos. Apesar de ter que estipular atividades de forma mais individualizada, pudemos avançar muito, sobretudo no controle severo de processos. Nesse período conseguimos zerar o número de processos parados há mais de 100 dias, mantendo uma rotina de horário, impedindo que as pessoas se dispersassem. Isso tudo, além de uma relação muito boa com o Ministério Público e a Defensoria fizeram com que pudéssemos avançar muito”, destacou o magistrado.

Para o juiz da Vara Única de Pedro II, muito dos protocolos e estratégias que foram desenvolvidos durante esse período serão permanentes. “Todo o cuidado e o acompanhamento mais criterioso das metas e resultados, que foram implantados durante a pandemia, certamente continuarão depois dela. Estamos colocando em prática muito do que temos aprendido no Curso de Administração, oferecido pela Corregedoria e, sem dúvida, essa produtividade também é resultado dessa nova abordagem”, disse o Juiz.

O Curso de Administração Aplicada ao Judiciário também foi um divisor de águas para o juiz responsável pela comarca de Cocal, Dr. Carlos Augusto Arantes. “Sem dúvida o curso foi importante especialmente nesse momento. Todos os dias eu faço questão de acompanhar todos os servidores, dizer claramente o que precisamos e assim conseguimos bons resultados. Esse apoio da CGJ, especialmente ao lançar um olhar mais humano, faz a diferença, elevando nosso Tribunal não apenas para alcançar números junto ao CNJ, mas também a oferecer o melhor serviço junto ao jurisdicionado”, ressaltou Dr. Carlos Augusto.

Representando a Associação dos Magistrados do Piauí, o juiz Leonardo Brasileiro, aplaudiu a ideia da premiação, chamando atenção para a importância de se reconhecer as boas práticas. “O trabalho dos magistrados do Piauí é motivo de orgulho nesse momento e a coroação das gestões exitosas é muito importante. Em nome da Amapi, agradeço a Corregedoria e parabenizo todos os premiados”, destacou.

O juiz auxiliar da CGJ-PI, Dr Manoel de Sousa Dourado parabenizou os premiados e chamou atenção para a importância de uma gestão compartilhada. “Desde o primeiro momento, essa gestão da Corregedoria optou por fazer uma gestão participativa. E isso foi o grande responsável pelos avanços que tivemos até hoje. Essa premiação é uma forma de reconhecimento do trabalho que reflete não apenas no Judiciário, mas em toda sociedade”, ressaltou o magistrado.

Para Dr. Luís Moura, também juiz auxiliar da CGJ-PI, o Judiciário será outro depois da pandemia. “Estamos vendo produtividades até maiores que normal, quando temos todos os fatores favoráveis. Olhando lá no começo, quando iniciamos o projeto Corregedoria Itinerante percebo o quanto foi essencial ouvir cada juiz. É isso que vai garantir a continuidade de um trabalho tão importante, que existe para dar qualidade a prestação jurisdicional ao nosso usuário”, finaliza Luís Moura.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email