Lucrécio Dantas Avelino

Desembargador Lucrécio Dantas Avelino nasceu em Oeiras (PI), em 1882. Filho de Demóstenes Constâncio Avelino e Ana Dantas Avelino. Seu pai era Juiz Federal. Era um celibatário irredutível, sem filhos, de costumes austeros, vivendo solitário, servido apenas por um criado e uma mulher da sua estima, que raramente dormiam na casa do patrão. Bacharel pela Faculdade de Direito de São Paulo (SP), em 1904. Secretário de Fazenda do Piauí em dois governos, pelo decreto de nº 726, de 11 de setembro de 1919. Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí (1919) em face do falecimento do Des. João Gabriel Baptista, a 03 de setembro daquele mesmo ano, no exercício da presidência do Tribunal de Justiça do Estado. Ficou como desembargador até o dia 01 de outubro de 1921, quando foi nomeado secretário da Fazenda pelo governador João Luiz Ferreira. Deixou o Poder Judiciário, sendo substituído pelo Dr. Joaquim Vaz da Costa, para ser Juiz Federal no Piauí (1924 a 1927), em cujo cargo faleceu, na plenitude do exercício de suas funções. Foi estúpida e traiçoeiramente esfaqueado em sua residência, crime que abalou toda a cidade e teve grande repercussão nacional. Logo nas investigações iniciais, chegou-se aos autores do crime: Zé Cabeção, que no dia seguinte apareceu morto na prisão, e Sátiro Ferreira Gomes. Este último deu a pista de outros comparsas. Zé Cabeção, antes de morrer, apontou os nomes do senador Eurípides de Aguiar e do coronel Laurindo Castro como mandantes do crime. Um novo inquérito apurou o autor intelectual do crime, o coronel Laurindo, recolhido à cadeia pública. Em seguida é solto por um hábeas corpus do Tribunal de Justiça do Estado. Eurípides foi isento de qualquer culpa. Magistrado e Jornalista de intensa atividade na imprensa piauiense. Colaborador dos jornais Hábeas Corpus e O Piauí. O desembargador Lucrécio Dantas Avelino era um magistrado de inteligência penetrante. Faleceu na madrugada de 18 de novembro de 1927, em Teresina (PI).

 

Compartilhe: