Início » Corregedoria » CGJ encerra correição nas 1ª e 2ª Varas de São Raimundo Nonato

CGJ encerra correição nas 1ª e 2ª Varas de São Raimundo Nonato

 
 

A Correição Ordinária na 1ª e 2ª vara de São Raimundo Nonato foi encerrada na última quinta-feira (28), na sala de audiências da 1ª vara da Comarca, pelo juiz auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça do Piauí, Dr. Manoel de Sousa Dourado.

Na ocasião, Dr. Manoel de Sousa Dourado encerrou os trabalhos falando sobre a importância desta Correição para a unidade e para a Corregedoria e agradeceu a colaboração dos magistrados e dos servidores que auxiliaram no bom andamento dos trabalhos correicionais. Informou ainda que os ajustes e as determinações estarão contidos no relatório a ser entregue à unidade dentro do prazo regimental e registrou as novas diretrizes e parâmetros do CNJ para realização das correições nos próximos anos.

O juiz titular da 1ª vara criminal, Dr. Carlos Alberto Bezerra Chagas, o magistrado elogiou o novo modelo adotado pela Corregedoria de correições, com o foco voltado à resolução dos problemas encontrados e não meramente de caráter punitivo, e agradeceu o empenho da equipe da Corregedoria, mencionando que sua Unidade está disponível para cumprimento das orientações da CGJ/PI, com vistas à conclusão dos atos decorrentes desta Correição.

Concedida a palavra ao juiz responsável pela 2ª vara, Dr. Igor Rafael Carvalho de Alencar, o mesmo pontuou o empenho da equipe da unidade, agradeceu a presença da Corregedoria e registrou que a correição realizada na unidade certamente trará ganhos efetivos ao juízo, no sentido de auxílio e direcionamento às atividades desenvolvidas na serventia judicial.

Por fim, Dr. Manoel de Sousa Dourado agradeceu a atenção e receptividade dedicada à equipe da Corregedoria e ressaltou a importância da observância pela unidade quanto aos indicadores de produtividade e desempenho, bem como quanto à utilização e, consequente incorporação na rotina de trabalho da vara, do sistema TJPI em números. “O juízo deve sempre ter um olhar mais atento aos processos com maior tempo de paralisação e ao tempo médio de tramitação dos feitos, buscamos orientar sempre às unidades judiciárias nas correições para a realização de uma triagem mais apurada dos processos como forma de organização e melhor planejamento das atividades, a adoção e incorporação na rotina de trabalho de atos ordinatórios, pois entendemos que o trabalho de cada um dos servidores tem um papel imprescindível para obtermos mais conquistas no Judiciário Piauiense”, destacou.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email