Presidente Erivan Lopes destaca melhoria dos índices do TJ-PI após implementação de várias ações

 
 

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentou, na segunda-feira (27/08), durante a Reunião Preparatória para o XII Encontro Nacional do Poder Judiciário, o Relatório Justiça em Números 2018, que reúne dados de 90 tribunais sobre o funcionamento da Justiça referentes ao ano anterior, 2017. O estudo – que se encontra na sua 14ª edição – aborda toda a atividade da Justiça brasileira, com exceção do Supremo Tribunal Federal (STF).

O levantamento, principal fonte das estatísticas oficiais do Poder Judiciário desde 2004, apresenta um detalhamento da estrutura e litigiosidade do Poder Judiciário, além dos indicadores e das análises essenciais para subsidiar a Gestão Judiciária brasileira. Entre os indicadores, por exemplo, estão índices de produtividade de magistrados e servidores, a taxa de congestionamento de processos, bem como a despesa do Poder Judiciário e o custo por habitante.

Ao comentar sobre os números divulgados, o Presidente do TJ-PI ressaltou sua empolgação em saber que a Corte piauiense, pelo terceiro ano seguido, tem apresentado boas estatísticas em relação aos principais indicadores constantes no Relatório do CNJ. Segundo o Presidente Erivan Lopes, “a despeito do aumento da carga de trabalho, tanto no primeiro quanto no segundo grau, houve melhoria nos índices de produtividade dos magistrados e de servidores”. Explicou que, em relação aos números do ano anterior, o TJ-PI teve um incremento de produtividade de aproximadamente 10% e 42%, respectivamente, em relação aos magistrados e servidores.

Conforme o Presidente Erivan Lopes, “os dados apresentados pelo TJ-PI, apesar de ainda merecerem atenção e aprimoramento na busca de melhores resultados, sem dúvida demonstram que as ações desenvolvidas pela atual gestão da Corte já apresenta bons frutos”. O Presidente destacou algumas ações importantes para se alcançar os resultados obtidos, a exemplo da nomeação de magistrados e servidores para as diversas Comarcas do estado, o aumento do número de assessores de juízes, a agregação de Comarcas como forma de racionalizar e concentrar o uso de mão de obra em unidades jurisdicionais mais movimentadas, a expansão dos CEJUSCs, além da atuação da Corregedoria de Justiça em relação a baixa de acervo.

Os dados do Relatório Justiça em Números 2018 foram apresentados aos Presidentes de Tribunais, além de magistrados e servidores de diferentes estados do país. Representando o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), esteve presente o Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, Desembargador Erivan Lopes, acompanhado do Juiz Auxiliar da Presidência, Antonio Oliveira, e o estatístico da Secretaria de Gestão Estratégica, David Farias.

 

FONTE: Juizado Auxiliar da Presidência

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email