Início » Notícias » Grupo de Trabalho discute termos do questionário do CNJ sobre a participação feminina no TJ-PI
 

Grupo de Trabalho discute termos do questionário do CNJ sobre a participação feminina no TJ-PI

O Grupo de Trabalho criado para implementar a Política de Incentivo à Participação Feminina no Poder Judiciário no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) realizou mais uma reunião nesta segunda-feira (12). O encontro teve como objetivo discutir os termos constantes no questionário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) acerca da participação feminina no Poder Judiciário.

A pesquisa atende à Resolução n° 255/2018, do CNJ, que dispõe sobre a necessidade de os tribunais de Justiça adotarem medidas para assegurar a igualdade de gênero no ambiente institucional. Por meio das respostas obtidas, é possível mensurar o cenário vivido pelas mulheres que desempenham funções no Poder Judiciário; se as condições laborais são adequadas e se ações de incentivo à participação feminina no Judiciário são promovidas.

Durante o encontro, os membros do GT aprofundaram a análise dos temas envoltos no questionário e expuseram pleitos e sugestões de melhoria relacionados à adoção e/ou aperfeiçoamento de medidas e estudos em prol da participação mais democrática das mulheres nos cargos de gestão e assessoramento do Judiciário.

De acordo com a magistrada Keylla Ranyere, presidente do GT, serão identificados, ainda, dados referentes à participação das mulheres em seus respectivos cargos, a fim de montar um diagnóstico preciso sobre esse número. Os dados serão coletados em parceria com a Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas (Sead).

Na oportunidade, o GT celebrou ainda o ingresso de dois novos membros, o magistrado Leonardo Brasileiro, e o servidor Leonardo Carvalho. Compõem o Grupo as magistradas Maria Luíza de Moura Mello e Freitas, juíza da 1ª Vara da Infância e Juventude da comarca de Teresina, a juíza titular da Vara Única da comarca de Itainópolis Mariana Machado, o presidente da Associação dos Magistrados Piauienses (Amapi), juiz Thiago Brandão de Almeida e a servidora Núbia Cordeiro.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email