Início » Notícias » Projeto do TJ-PI, “Leis Sistêmicas a Serviço da Reconciliação” será apresentado em simpósio em Brasília (DF)
 

Projeto do TJ-PI, “Leis Sistêmicas a Serviço da Reconciliação” será apresentado em simpósio em Brasília (DF)

Desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI), por meio do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), em parceria com a facilitadora Adriana Queiroz, o projeto Leis Sistêmicas a Serviço da Reconciliação é um dos quatro selecionados, entre programas de todo o País, a ser apresentado, nos dias 27 e 28 de março, durante o II Simpósio Nacional de Melhores Práticas em Solução de Conflitos, na cidade de Brasília (DF).

O Projeto Leis Sistêmicas a Serviço da Reconciliação tem por finalidade a disseminação da prática da Constelação Familiar no Judiciário, integrando mais uma dinâmica na resolução de conflitos por meio de soluções satisfatórias para as partes envolvidas em um conflito de interesse, de modo a evitar a judicialização.

O Simpósio é organizado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJ-DFT), juntamente com a Secretaria Nacional de Justiça e a Escola Nacional de Mediação e Conciliação (Enam), e visa à troca de experiências e de boas práticas em métodos consensuais de soluções de conflitos.

Projeto

As atividades pertinentes ao projeto Constelação Familiar no Judiciário envolvem palestras e dinâmicas realizadas em grupos familiares, com o objetivo de tratar as questões físicas e mentais dos participantes seja nos âmbitos familiar, matrimonial e/ou de trabalho e, desse modo, fazê-los compreender seus conflitos pessoais e encontrarem uma solução favorável. 

A facilitadora e terapeuta integrativa Adriana Queiroz ministra Palestras Vivenciais de Constelações Familiares, abordando temas condizentes com a prática de conciliação e mediação. Neste ano, já foram promovidas duas palestras no Auditório Pleno do TJ-PI. De acordo com o cronograma do projeto, serão ministradas palestras também nos meses de março, abril e maio, que tratará sobre os temas: Guarda, Investigação de Paternidade e Soluções Sistêmicas para Convivência Familiar (direito de visita, guarda compartilhada), respectivamente.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email