Constelação Familiar no Judiciário: Cejusc e Nupemec promovem mais uma prática nesta segunda-feira (25)

 
 

Solucionar conflitos das partes envolvidas em litígios, trabalhando suas questões físicas e mentais. Esse é o objetivo da prática de Constelação Familiar no Judiciário. O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), por meio do Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) e do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), promoverá, nesta segunda-feira (25), das 8h às 12h, mais uma dinâmica. A atividade será realizada em parceria com o Núcleo de Soluções Sistêmicas, coordenado pela facilitadora e terapeuta integrativa Adriana Queiroz e acontecerá no auditório Pleno do TJ-PI (3° andar).

A prática integrativa compõe mais um método de mediação e conciliação e visa à diminuição da judicialização pelos meios pacíficos. Dentre as ações a serem realizadas com os participantes, a facilitadora Adriana ministrará Palestra Vivencial de Constelações Familiares e atividades em grupo para possibilitar a revelação de seus conflitos pendentes, seja no âmbito das relações matrimonias, familiares ou no ambiente de trabalho, e assim, poder compreendê-los de modo mais amplo.

A palestra é gratuita. Além das partes envolvidas nos conflitos, advogados, mediadores, servidores e demais convidados podem participar das dinâmicas. A consteladora explica o funcionamento da atividade:

“As práticas são realizadas de forma vivencial, pois as pessoas que participam têm a oportunidade, por meio de exercícios sistêmicos, de representar papéis correspondentes às suas funções nos relacionamentos familiares ou matrimoniais. Os participantes fazem movimentos espontâneos e interagem uns com os outros. Dessa forma, podemos observar e identificar por que determinado litígio está acontecendo e encontrar uma solução que possa perdurar, evitando a reincidência do processo na Justiça”.

A facilitadora Adriana Queiroz enfatiza ainda a importância das metodologias aplicadas na Constelação Familiar para a sociedade em geral: “ Todos saem beneficiados, tanto os consteladores quanto as pessoas que têm processos em trâmite na Justiça, pois conseguimos ajudar os agentes envolvidos quanto à compreensão mais profunda de seus conflitos e assim, podemos harmonizar a situação e dar-lhes uma solução satisfatória”.

 

 

 

 

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email