Programa Fazendo Justiça: TJ-PI participará de formação em alternativas penais promovida pelo CNJ

 
 

O Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) participará da Formação em Alternativas Penais, com atualizações complementares em Audiência de Custódia e Monitoração Eletrônica, oferecida pelo Conselho Nacional de Justiça, por meio do programa Fazendo Justiça, de 30 de novembro a 4 de dezembro. O curso é ofertado regionalmente. Ao todo, oito vagas foram destinadas ao Piauí.

O objetivo da formação é a qualificação das políticas e dos serviços desenvolvidos pelos Tribunais de Justiça e pelo Poder Executivo, com ênfase na capacidade de promover o desencarceramento e enfoque nas diversidades dos serviços locais, metodologias de acompanhamento e boas práticas em todo o país. O público-alvo são servidores e profissionais com atuação na área em Varas Criminais e Centrais Integradas de Alternativas Penais.

A programação reúne especialistas, magistrados e gestores de todas as regiões do país, que irão compartilhar caminhos possíveis para uma política efetiva a partir da experiência acumulada pelo programa. A proposta é apresentar as melhores práticas em alternativas penais e refletir sobre como replicar experiências bem sucedidas em cenários diferentes.

Parceria
A formação é promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), por meio do programa Fazendo Justiça.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email