Sugesq/TJPI promove palestra sobre “Saúde Mental e Valorização da Vida” nesta terça-feira (29)

 
 

Com o tema “Saúde Mental e Valorização da Vida: um olhar sobre o autocuidado”, o Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI), por meio da Superintendência de Gestão da Saúde e Qualidade de Vida, promoverá encontro virtual na próxima terça-feira (29), a partir das 20h, em seu perfil oficial no Instagram @tjpioficial. O evento é voltado a servidores, magistrados e à sociedade em geral e acontece em alusão ao movimento Setembro Amarelo, mês de mobilização sobre a prevenção e o combate ao suicídio. O bate-papo será conduzido pelo psicólogo Fábio Melo, especialista em neuropsicologia, e pelo mediador Náiguel Castelo Branco, especialista em hematologia clínica e servidor do TJ-PI.

A saúde mental é discutida por organizações públicas, privadas e do terceiro setor em nível mundial por se tratar de um fenômeno que acomete muitas pessoas, independente de faixa etária ou classe social, e traz uma série de implicações em seus espaços sociais, do âmbito familiar ao ambiente de trabalho. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde mental é uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública, podendo contribuir também para o aumento nos índices de suicídio.

Nesse sentido, é importante, de acordo com o psicólogo Fábio Melo, alertar a sociedade quanto aos cuidados que se deve ter com saúde mental, especialmente no cenário atual, com os impactos percebidos em decorrência da pandemia.

“Na live eu gostaria de chamar atenção para cuidados especiais, ajustes emocionais, os desafios do acúmulo do estresse devido à carga-horária do trabalho e no desempenho das atividades do dia a dia, todos os impactos mundiais e como esses pequenos cuidados consigo mesmo, quando são desleixados, essas pequenas coisinhas, são ampliadas na situação atual, como tudo isso vai sendo construído, além dos drásticos efeitos do descuido com saúde mental nesse cenário atual”, relatou Fábio Melo. “Além disso, também quero comentar mais especificamente sobre casos generalizados, fazer uma autópsia psicológica de alguns casos passados e presentes até para servir como alerta mesmo para entender tudo isso que tá acontecendo”, explica.

Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email