Início » VEP » Programas » Reconstruindo Vidas

Reconstruindo Vidas

O Programa Reconstruindo Vidas surge com a missão de atuar na promoção da reinserção social aos reeducandos (as) em fase de cumprimento de regime aberto, livramento condicional, albergue domiciliar e aos egressos (as) e seus familiares de modo a facilitar seus retornos ao convívio em sociedade.

Este programa foi criado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJPI) através da Vara de Execuções Penais (VEP) de Teresina e Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF).

Como Funciona

Através do programa, o Núcleo Multidisciplinar da Vara de Execuções Penais de Teresina realiza apoio social e psicológico, encaminhamentos para cursos de capacitação profissional e vagas de emprego disponibilizados por parceiros do setor público e privado. Outrossim, destaca-se que os encaminhamentos são direcionados também para oportunidades de trabalho em conformidade com a Lei Estadual 6.344/2013, que destina 5% das vagas de emprego para egressos do sistema prisional em obras e serviços prestados por empresas privadas aos órgãos públicos do Estado.

Quem Pode Ajudar?

Muitas pessoas que foram condenadas pela prática de crime têm, quando próximas do término da pena, ou após seu cumprimento, grandes dificuldades no retorno à vida correta, pela falta de qualificação, pobreza e inexistência de oportunidades de trabalho.

Da mesma forma, há diversas crianças e adolescentes em situação de risco, em virtude da prisão de suas mães.

Esses sentenciados e crianças e adolescentes necessitam de ajuda, psicológica, pedagógica, assistencial, de qualificação, oportunidades de trabalho ou, às vezes, material temporário.

Todos podem ajudar, independentemente de suas condições econômicas, profissão, religião, sexo e preferência políticas, assim como empresas, entidades filantrópicas, escolas e associações.

Como Posso Ajudar?

Ao contrário do que muitos imaginam a quase totalidade dos apenados deseja trabalhar, grande número deles, porém não tem qualificação. Os filhos também não devem pagar pelos erros de seus pais.

Assim, os apenados e os filhos das presas podem ser ajudados, com cesta básica temporária, qualificação, oportunidades de trabalho, creche, família substituta ou auxílio no estudo.

Compartilhe: