Início » Corregedoria » Reunião do Fórum Fundiário de Corregedores do Matopiba segue até hoje em Palmas (TO)

Reunião do Fórum Fundiário de Corregedores do Matopiba segue até hoje em Palmas (TO)

 
 
Por Aurizete Fonseca 
Começou nesta quinta (21), em Palmas, a 4a Reunião do Fórum Fundiário dos Corregedores Gerais da Justiça do Matopiba, que tem como objetivo discutir os processos de Regularização Fundiária nos estados que compõe o fórum: Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. A solenidade de abertura aconteceu no Salão do Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins.
A abertura de evento  foi feita com um pronunciamento do Presidente do Fórum Fundiário dos Corregedores do Matopiba, Desembargador Hilo de Almeida Sousa, Corregedor Geral da Justiça do Piauí, que enfatizou a importância deste encontro para buscar ações que venham dar segurança jurídica a problemas sociais seculares, que culminam com a própria estagnação do desenvolvimento social das áreas envolvidas no Fórum.
“É para aprofundar nosso conhecimento, dividir experiências e ideias e encontrarmos novos caminhos, que estamos aqui mais uma vez.  O objetivo é trazer segurança jurídica aos pequenos, médios e grandes produtores, facilitar o acesso à justiça, diminuir os conflitos fundiários e garantir os direitos das comunidades tradicionais, de modo a garantir a convivência harmônica entre todos e com isso realizar o verdadeiro papel da justiça que é promover a paz social”, declarou o corregedor.
O Desembargador Hilo aproveitou para elencar ações que já foram feitas nos Estados do  Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, e que já são resultados do compromisso que as Corregedorias estão tendo com a Regularização Fundiária. “No Piaui  avançamos no que diz respeito a aprovação da minuta de Lei de Regularização Fundiária, que hoje encontra-se em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado. A pedido do governador, o Núcleo fez considerações a respeito das emendas propostas pelos deputados, demonstrando a credibilidade do Núcleo junto ao Governo e a preocupação deste em manter as característica do projeto inicial”, informou acrescentando as ações da Corregedoria do Estado do Maranhão.
 “O  Desembargador Marcelo vem desenvolvendo um trabalho extraordinário e recentemente propôs ao pleno do Tribunal Maranhense transformar o Núcleo de Regularização Fundiária da Corregedoria em uma Coordenadoria, tudo com vistas a manter o trabalho nas próximas gestões”, enfatizou.
Na Bahia, os Corregedores Salomão Resedá e Lisbete Maria Teixeira editaram provimento conjunto que instituiu o comitê de regularização e conflitos fundiários, com atribuições para atuar em processos administrativos que envolvam conflitos de imóveis.  “Aqui no Tocantins, houve a sanção da Lei de convalidação de títulos paroquiais de propriedades rurais, o que demonstrou a interação entre a gestão estadual de todos os poderes, em especial o comprometimento do Corregedor, desembargador João Rigo, com esta temática”, completou
O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, explicou que com esta convalidação estima-se que 80 mil títulos de terras serão expedidos. “Se levarmos isso para valores,  tendo em vista que o custo do processo é em média R$ 3.600,00, temos um valor significativo  de economia para o judiciários e para as partes como um todo”, disse.
“Na prática, esse impacto é tão grande que é como se 80 mil empresas estivessem fechadas e passam a ser abertas. É um impacto muito positivo na economia do estado”, completou o Juiz Océlio Nobre.
O evento continua durante todo o dia desta sexta, com vários paineis que discutem a Regularização Fundiária, com a participação de vários órgãos federais e internacional, como o painel sobre as Diretrizes Voluntárias para Governança Responsável da Terra no Matopiba, que terá como expostor Rafael Zavala, representante da Organização das nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).
O Corregedor Geral da Justiça do Estado do Piauí, Des. Hilo de Almeida, falará sobre os Avanços do Núcleo Fundiário da Corregedoria do Piauí após do III Fórum Fundiário. O Juiz Auxiliar da Corregedoria da Justiça do Piauí, Manoel de Sousa Dourado  encerrará a exposição do paineis abordando o tema “Ações da Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Piauí para Facilitação da Regularização Urbana dos Municípios do Estado”.
Compartilhe:
Print Friendly, PDF & Email